TOXINA BOTULÍNICA: Indicações e perspectivas de aplicação na odontologia

A Toxina Botulínica é considerada uma das mais potentes toxinas já identificada, porém pelas suas propriedades, apresenta ampla e segura aplicação estética e terapêutica. Essa neurotoxina é produzida por bactérias anaeróbias do gênero Clostridium, causadoras do botulismo, doença caracterizada por paralisia flácida da musculatura esquelética, grave e de evolução rápida, que pode levar a óbito. Já foram identificados sete sorotipos diferentes de toxina botulínica (A-G). Dentre esses, os sorotipos A e B são utilizados na clínica, sendo que o sorotipo A é o mais empregado pela maior eficácia e segurança.

O efeito principal da toxina botulínica é impedir a liberação de acetilcolina da terminação nervosa colinérgica na junção neuromuscular, impedindo dessa maneira, a contração muscular.  Esse efeito envolve uma ação seletiva da toxina em proteínas da família SNARE (soluble N-ethyl maleimide sensitive factor attachment protein receptor), que medeiam o processo de excocitose da aceticolina.

É empregada na clínica médica desde a década de 1970 para o tratamento do estrabismo, mas foi somente no ano de 2002 que seu uso cosmético foi aprovado pela agência regulatória americana FDA (Food and Drug Administration). A eficácia da toxina botulínica em procedimentos cosméticos já está bem estabelecida e estudos recentes indicam seu emprego em inúmeras condições não cosméticas de interesse do cirurgião-dentista. Dentre esses procedimentos pode-se destacar seu uso no controle da sialorréia, tratamento do bruxismo, desordens temporomandibulares, hipertrofia de masseter, trismo e no controle de alguns tipos de dor orofacial, inclusive neuralgia do trigêmeo. Portanto, a toxina botulínica representa uma opção de tratamento segura e pouca invasiva para uma grande variedade de condições na clínica odontológica, desde que corretamente indicada.

Existem diversas formulações de toxina botulínica do tipo A comercialmente disponíveis no Brasil. Entretanto, por se tratarem de produtos biológicos as formulações não são comparáveis. Cada uma delas apresenta características específicas quanto à composição, atividade biológica, antigenicidade e potência.  Portanto, os profissionais devem estar atentos as características individuais de cada produto, para a escolha do mais adequado para cada situação e paciente. É válido ressaltar que os produtos também apresentam diferenças quanto às indicações clínicas para os quais já foram aprovados pelas agências regulatórias, que também devem ser de conhecimento do profissional.

Por fim, a despeito da reconhecida eficácia e segurança do emprego de toxina botulínica na clínica, o seu uso pode ocasionar inúmeros efeitos adversos. Os efeitos adversos mais comuns (e.g. dor, edema, eritema) estão relacionados ao procedimento e são transitórios. No entanto, efeitos adversos mais graves podem ser minimizados ou até mesmo evitados com a seleção apropriada do produto, realização correta da técnica e avaliação prévia do paciente.

Recent Posts